31/10/2014

Cabrito assado à moda de Leitão {Receita Tradicional}

Sempre achei piada às receitas que são "à moda" de alguém ou de alguma coisa. Sinto que é uma espécie de atestado de qualidade e dá-me uma certa confiança e certeza de será uma boa receita. Porque muitas vezes a receita já existe mas aquela pessoa dá-lhe um toque que a torna sua e tão especial. O arroz doce da minha mãe, a feijoada do meu sogro e a mousse de chocolate do meu tio são as melhores versões que conheço destas receitas tão conhecidas. Podia continuar e lembrava-me de muitas mais, que associo sempre a certas pessoas ou ocasiões. E por muito que me expliquem qual é o truque, não vale a pena porque não fica igual. 
Esta receita é assim, igual a tantas outras mas com uma designação que chama a atenção, porque a associamos de imediato a algo bom. Não é apenas a designação, o aspeto é magnífico e o paladar, nem vos conto... Esta receita é a simplicidade pura. Poucos, mas bons ingredientes e um resultado garantido.
Este fim de semana é perfeito para a pôr em prática. Um fim de semana em que as famílias de reunem. Os que estão e os que já só estão no coração. Também esses estão mais próximos por estes dias. E nada melhor que lembrar e recordar quem gostamos à volta da mesa.
Ingredientes:
2 kg de costela de cabrito (ou outra parte ou o cabrito inteiro)
4 dentes de alho
1,5 colher de sopa de sal grosso
1/2 colher de sopa de pimenta moída na hora
2 folhas de louro
azeite
1 raminho de alecrim
1 raminho de salsa

Coloque o cabrito em água com limão durante 1 hora. 
Num almofariz, coloque o sal, os alhos, a pimenta, a salsa picada e as folhas de louro partidas aos pedaços. Amasse tudo até obter uma pasta e junte 2 ou 3 colheres de sopa de azeite. 
Barre o cabrito com esta pasta e pode deixar ficar a descansar de véspera para ganhar ainda mais sabor ou em alternativa, uma ou duas horas e levar a assar depois. 
Coloque o cabrito numa assadeira de barro preto e leve ao forno a 180ºC até a pele ficar estaladiça e dourada. Com o ramo de alecrim, vá refrescando a carne, enquanto vai assando. 
Acompanhe com arroz branco e batata frita às rodelas.


Bom fim de semana e não se esqueça de participar no Giveaway a decorrer em parceria com a Lotus Grill, em comemoração dos 22 mil seguidores da página de facebook do Hoje para jantar!

28/10/2014

Fusili tricolor com salsichas frescas {Rubrica nova: Receitas para estudantes}

Uma das coisas que mais me lembro do tempo de faculdade são as cozinhas de todas as casas por onde passei. Como estudei em Aveiro e no Porto, tive oportunidade de conhecer produtos e tradições bastante diferentes. Uma das coisas que houve em comum em ambas as estadias, foram as festas. E tudo era um bom motivo para festejar. Desde essa altura que eu preferia ter o trabalho de preparar as coisas em casa do que ir jantar fora. Isso era eu, que gostava de cozinhar e não me aborrecia ficar agarrada aos tachos mas nem todas as pessoas com quem morei eram assim. Algumas nem massa cozida sabiam fazer. E que confusão isso me fazia... 
Mesmo nessa altura, abastecia a despensa e o frigorífico com produtos que levava da quinta. Além de poupar uns trocos, tinha produtos com um sabor completamente diferente. Talvez por isso as minhas colegas dissessem que a minha comida era sempre melhor que a delas! 
E hoje trago... Salsichas frescas... Aquele produto que faz as delícias de muitos. Eu não sou propriamente fã mas de vez em quando cedo ao capricho do miniestudante cá de casa. Um conselho, comprem sempre num talho de confiança!
Salsichas frescas são sinónimo de gordura pelo que, a quantidade de gordura usada no refogado deve ser mínima.
Para o refogado, usem tomates maduros em vez de polpas e concentrados que além de serem muito mais saudáveis, dão um sabor e textura completamente diferentes.
Há dois ou três ingredientes que podem parecer supérfluos mas que no seu conjunto ditam o sucesso deste e de muitos pratos do género. Falo do alho, do louro e do azeite! Cozinhar com azeite é sem dúvida a melhor opção. Sabiam que muitos dos óleos existentes no mercado trazem escrito no rótulo "contém óleo de soja refinado produzido a partir de soja geneticamente manipulada"? O óleo Vegê é um dos exemplos, assim como muitas das marcas mais baratas. Por vezes, as informações estão à nossa frente mas fazemos as coisas tão a correr e tão mecanizadas que nem nos apercebemos... 

Ingredientes para 4:
4 salsichas frescas
3/4 de embalagem de massa fusili tricolor
2 tomates bem maduros, cortados aos cubos e sem sementes
1 cenoura
1/2 pimento vermelho
1/2 cebola
1 dente de alho
2 folhas de louro
1 colher de sopa de azeite
3 chávenas de água
1/3 chávena de vinho branco
sal

Coloca o azeite num tacho e leva ao lume. 
Com uma tesoura, corta as salsichas frescas em pedaços. Junta ao azeite e deixa cozinhar em lume brando [médio-baixo], mexendo de vez em quando. [Se repareres, as salsichas começam a libertar muita da sua gordura]
Quando as salsichas começarem a estar douradas, junta o dente de alho e a cebola cortados o mais finamente que conseguires, sem cortar os dedos☻. 
Deixa refogar durante 5-6 minutos e junta o tomate, o louro e o pimento cortado aos cubos. 
Descasca a cenoura e corta-a em rodelas. Junta ao refogado.
Deita o vinho no refogado e deixa cozinhar durante mais 3 minutos, destapado. Acrescenta a água, tempera com sal e quando começar a ferver, junta a massa. Mexe para que a massa não cole e deixa cozinhar até ficar al dente.
Retira as folhas de louro e acompanha com salada de alface.
Bom apetite!

nota:
Em alternativa, podes retirar a pele às salsichas e moldar hamburgueres. Frita-os na chapa, em lume brando, sem adicionar qualquer gordura [a gordura libertada das salsichas é suficiente para os fritar] e acompanha com massa e legumes cozidos.
E não se esqueça de participar no Giveaway a decorrer em parceria com a Lotus Grill, em comemoração dos 22 mil seguidores da página de facebook do Hoje para jantar!

26/10/2014

Ementa para a semana


Mais um fim de semana com temperaturas fantásticas que nem fazem lembrar que faltam menos de dois meses para o Natal. Para um dos meus projetos deste ano vão ser precisos rolos de papel higiénico por isso, se quiserem e se se lembrarem, podem ir guardando.
Este fim de semana fui atacada pela preguiça e não me deu para grandes arrumações ou limpezas. Mas fiz uma das coisas que faço de vez em quando, limpar, organizar e confirmar o que há na arca congeladora. Há quem diga que se deve descongelar o congelador ou arca de três em três meses porque cada camada de 1cm de gelo, aumenta exponencialmente o consumo destes eletrodomésticos. Além de ser bom para a economia doméstica, dá sempre para atualizar o inventário e evitar que alguns alimentos fiquem esquecidos. Diminuimos o consumo de energia e minimizamos o desperdício. Andei à procura para ver se encontrava uma aplicação gira para o telemóvel [como esta que uso para as compras] mas nada de jeito... Vou ter que continuar a ter uma folha na porta do frigorífico, com as coisas que há na arca congeladora. 
Para quem me tem pedido as receitas de papas de aveia, enquanto não faço outro post sobre o assunto, vejam aqui receitas de papas de quinoa, aveia e cevada.
Para esta semana sugiro:


As sugestões para os lanches escolares estão aqui.

E não se esqueça de participar no Giveaway a decorrer em parceria com a Lotus Grill, em comemoração dos 22 mil seguidores da página de facebook do Hoje para jantar!

 

25/10/2014

Pão do Vaticano

Para quem gosta de fazer pão como eu, fazê-lo em casa é um daqueles programas perfeitos de sábados à tarde em que não me apetece andar em limpezas ou arrumações. No entanto, este pão é diferente, não precisa de ser amassado e vai sendo feito ao longo da semana. Chama-se Pão do Vaticano e o primeiro pedaço de massa, a partir do qual tudo começa, passa de mão em mão. Eu explico, na semana passada, uma colega entregou-me uma tacinha com uma massa borbulhante de cheiro nada apetitoso que me fez lembrar de imediato a adega do meu pai em fim de setembro, depois das vindimas. Com este pedaço de massa, vinha a receita e história do pão. Com promessas de sorte para toda a família e algumas instruções.
Diziam as instruções que a massa devia descansar à temperatura ambiente, apenas coberta com um pano de cozinha, até segunda-feira, dia em que comecei o prcesso. Em alguns aspetos, esta massa malcheirosa fez-me lembrar o isco ou starter. E a verdade é que este pão cresceu como nenhum que eu tenha feito até hoje!
Na segunda-feira juntei açúcar, na terça-feira juntei leite, na quarta-feira juntei farinha e na quinta-feira mexi, seguindo as instruções, com uma colher de pau. Descansou novamente até sexta-feira, dia em que juntei novamente um pouco de tudo, de açúcar, leite e farinha. Mexi bem, sempre cm a colher de pau e dividi a massa em quatro partes. Distribuí três partes por mais três colegas e deixei a minha a descansar até hoje. Hoje, juntei mais farinha, bicarbonato de sódio, fermento para bolos, óleo, nozes, maçãs e canela. Por cima deitei passas e sementes de sésamo. Levei ao forno médio e a magia aconteceu. O cheiro ácido da massa despareceu por completo e o pão cresceu e ficou lindo como podem ver nas fotografias. Garanto-vos que está delicioso e tenho pena que não possam ir de imediato para a cozinha experimentar. Quem morar por Coimbra tem a solução, é só mandar-me uma mensagem e na próxima semana temos mais starter para este pão!
Um beijinho e bom fim de semana!



23/10/2014

Giveaway Hoje para jantar & LotusGrill

Quem segue este blogue e a página de facebook sabe que além de partilhar receitas e menus, gosto mesmo é de oferecer presentes. Para isso, tenho tido a felicidade de encontrar sempre quem alinhe nas minhas maluquices. 
Como repararam, a página de facebook chegou ao número redondo de 22 mil seguidores. Quem diria! Tantos! Fico para lá de feliz!
Para celebrar, a Lotus Grill tem para oferecer um presente hiper-mega-fantástico! Nada mais que um Grelhador Lotus Grill, a Bolsa de Transporte e o Avental Lotus Grill. Fabuloso, não é?!
Design exclusivo e qualidade garantida. São estas as palavras-chave que caracterizam o Lotus Grill. "Experimente o verdadeiro e saboroso churrasco sem fumo e sem odores, e conseguirá uma alimentação do outro mundo! Assar, Cozer, Grelhar… Um misto de sensações em qualquer lugar e em qualquer situação!"

Para se habilitar a ganhar o Grelhador Lotus Grill, mais a Bolsa de Transporte e o Avental Lotus Grill tem que: 
* Fazer like na página Lotus Grill 
* Fazer like na página do Hoje para jantar
* Partilhar este post publicamente no facebook 
* Comentar no post de facebook qual é a sua cor preferida e nomear três pessoas 
* Validar a sua participação aqui
O sorteio será válido para Portugal e ilhas, sendo feito por random via Easypromos pela Lotus Grill Portugal. Poderá participar até dia 09/11/2014 às 23:59h. O Vencedor será revelado no dia 10/11/2014 na aqui e na página Lotus Grill. 
Boa Sorte!

22/10/2014

Leite de Aveia Caseiro {Muito melhor que o de compra!}

Tenho a certeza que vos acontece o mesmo, seguir a página ou blogue de alguém e sentir que essa pessoa começa a fazer parte da nossa vida e do nosso dia-a-dia. A rotina de passar por lá para ler o que escreveram é como dizer bom dia a um vizinho. Com a diferença que muitas vezes o fazemos (ou eu faço) em silêncio, sem deixar comentários e me fazer presente. 
Há duas coisas de que gosto muito, cozinhar e manualidades. A paixão pela cozinha é obvia mas sempre adorei costurar. Aprendi a coser na máquina da minha mãe, ainda pequena, para fazer os vestidos das minhas bonecas. Era uma OLIVA velhinha (igual a esta), que nunca me assustou apesar do barulho e da proximidade do vaivém da agulha com os meus dedos.
Por uma coincidência engraçada, andava para fazer leite de aveia há imenso tempo até que um dia destes me lembrei e deixei os flocos de molho antes de ir dormir. Precisamente nessa manhã, chegou o livro tão esperado da Mafalda Pinto Leite. Este foi um dos livros que tive de a certeza que queria, depois de acompanhar a Mafalda há tanto tempo. A sua mudança de alimentação, as sugestões e esclarecimentos que vai partilhando na página de facebook são inspiradoras. Queria tanto o livro da Mafalda como o Mãos à Obra da Constança Cabral, que deve estar mesmo a chegar. Ambos lindos por fora e por dentro e recheados de ideias maravilhosas e inspiradoras. 
Mas hoje falo do da Mafalda enquanto o outro não chega. E depois de o desfolhar e ficar rendida às ilustrações da Rita , fiquei triste e desiludida pois descobri que afinal o açúcar amarelo não é mais que açúcar branco ao qual é adicionado melaço... Vivendo e aprendendo... Muitas vezes cometemos erros por pura ignorância...
Mas vamos à receita de leite de aveia, que é baseada numa das sugestões do livro. Esta receita pode ser feita com qualquer tipo de fruto seco ou semente desde que estejam em estado cru, sem ser torrados, salgados ou adoçados, como amêndoas, avelãs, sementes de girassol, caju, noz, castanha-do-maranhão, etc.
Vai precisar de um coador fino e pano de cozinha, água, adoçante (xarope de ácer, tâmaras, agave cru ou outro) e um aromatizante (vagem de baunilha).

Ingredientes para 1 litro de leite:
1 chávena de flocos de aveia
4 chávenas de água
1 pitada de flor de sal
4 tâmaras
1/2 vagem de baunilha

De véspera (ou durante 4-6 horas), coloque os flocos de aveia a demolhar na água. 
Deite tudo num robot de cozinha ou liquidificador, com os restantes ingredientes e triture durante 1 minuto.
Coe com a ajuda do coador e do pano e guarde num frasco, hermeticamente fechado, no frigorífico, até 4 dias. 
Agite bem antes de consumir. 
Pode consumir simples ou usar para preparar papas de aveia, de chia, sobremesas ou batidos.



21/10/2014

Salmão confitado com crumble de alheira

con.fi.tar [kõfiˈtar
Culinária: cozinhar durante um longo período e a uma temperatura baixa, geralmente na própria gordura (no caso das carnes), em azeite (no caso dos legumes ou peixes) ou em calda de açúcar (no caso de frutas).
Do francês confit, «carne cozida e conservada na própria gordura» +-ar.
O termo confitar surgiu como uma técnica de conservação dos alimentos, na antiguidade, pois as carnes ficavam cobertas na própria gordura evitando assim a sua deterioração. Hoje em dia, este método é usado para proporcionar ou realçar os sabores dos alimentos. O facto de cozer os alimentos em gordura, a baixa temperatura e por uma duração maior não prejudica a cadeia de fibras dos mesmos, conferindo-lhes uma maior maciez e textura. Os alimentos não ganham cor mas ganham sabor.
Não é necessário ter aparelhos específicos para fazer esta técnica, basta ter bons ingredientes, nomeadamente o azeite, uma panela de inox (melhor condutor do calor para que a temperatura seja constante) e um termómetro. A gordura não pode ferver, ou seja, não pode exceder os 100ºC sendo o ideal uns 60-80ºC. Ao ultrapassar esta temperatura, o alimento não coze, frita e o resultado não será o mesmo. 
Em alternativa à cozedura na panela com o termómetro, usei o forno, a uma temperatura de 70ºC.
Neste prato, usei um crumble de alheira que tinha feito para umas experiências com bacalhau e que achámos divinal. Fica um prato festivo, para fugir aos tradicionais. Por ser feito no forno, ainda nos liberta da cozinha para os preparativos de última hora!
Crumble de alheira
Ingredientes:
meia broa de milho amarelo
1 alheira 

Parta a broa para um tabuleiro. 
Retire a pele à alheira, parta-a aos pedaços e junte à broa.
Leve ao forno a 180ºC, durante 15 minutos ou até a broa estar torrada.
Coloque tudo num robot de cozinha e triture. Reserve. 

Salmão confitado
Ingredientes:
4 lombos ou tranches de salmão, sem espinhas e sem pele
azeite q.b. para tapar o salmão
1 ramo de funcho
1 ramo de tomilho
2 dentes de alho
1 limão 
sal q.b.
Coloque o salmão numa travessa e espalhe por cima umas pedras de sal, a raspa e sumo do limão e o funcho cortardo. Esfregue gentilmente no salmão, tape-o com película aderente e leve ao frigorífico durante pelo menos 30 minutos. 
Ligue o forno a 70ºC.
Coloque o azeite a aquecer numa panela e junte o tomilho e os dentes de alho, apenas esmagados mas com a casca. 
Coloque o salmão num pyrex e deite o azeite por cima (que não deve estar a ferver).
Leve o pyrex ao forno durante 30 minutos.

Retire o salmão do azeite e coloque.o num prato. Por cima do salmão, espalhe o crumble de alheira. 
Deite algum azeite da cozedura numa molheira e sirva o salmão com batata e couve cozidas.
 
Posts relacionados Plugin for WordPress, Blogger...